O editorial Bruguera já retornou para bibliotecas – Librópatas

Alguns meses atrás, a Penguin Random House, Grupo Editorial, o proprietário da marca registada “Editorial Bruguera”, do qual ele havia comprado, não muito antes de Ediciones B, anunciou que . O Editorial Bruguera estava indo para retornar ao mercado “, com o objectivo de recuperar o espírito que, por décadas, tornou-se o editor de livros de banda desenhada de referência.” Além de publicar novos títulos, a editora estava indo pegar o seu catálogo.

O tempo de chegada da Bruguera bibliotecas já está aqui. Penguin Random House, acaba de anunciar a chegada de ‘tangível’ (por assim dizer) de Bruguera em bibliotecas. “O mítico selo Bruguera, um dos emblemas da cultura popular na Espanha, voltou para as livrarias, com o objetivo de recuperar o espírito que, durante décadas, especialmente entre os anos quarenta e sessenta e ela fez o editorial de quadrinhos de referência”, explicou em comunicado de imprensa de lançamento. Os planos da editora são a publicar 45 livros por ano e também o lançamento, em 2019, o primeiro prémio Bruguera livro em quadrinhos e graphic novel, é dotado de 12.000 euros.

A programação de publicação para o último trimestre do ano mostra com quais títulos vai começar de novo Bruguera. Os primeiros títulos já nas livrarias, são O javali aniversário de 60 anos do Victor Mora e Francisco Darnís e Robinson, uma entrega de Superlópez, Jan. Haverá uma edição completa de Rompetechos, uma seleção de aventuras curtas de Mortadelo e Filemon, e outros dos melhores de sir Tim O’Theo. Além de publicar mais livros para recuperar a publicação de fundo e de seus personagens, também publicarna Filosofia para ser feliz para Jean-Philippe Thivet, Jerônimo Vermer e Anne-Lise Combeaud e Intimímate da Ines Jimm, um dos novos talentos que a editora quer descobrir.